1 - O que é Reprodução Assistida?

Reprodução Assistida é o conjunto de procedimentos que auxiliam um casal a obter sua gestação. Vai desde a mais simples Indução da ovulação, passando pela Inseminação Intrauterina e chegando na máxima tecnologia que é a Fertilização In Vitro (Bebê de proveta).

2 - Existe alguma diferença entre "Bebê de Proveta" e Inseminação Artificial?

SIM. A Inseminação Artificial consiste em provocar ovulação na mulher com auxílio de medicamentos. No seu dia fértil, o sêmen (espermatozoides) do seu marido é colhido, feita a capacitação deste sêmen, e, em seguida colocados os espermatozoides em ótimas condições na altura das trompas, para que a fertilização se dê espontaneamente. Na Fertilização In Vitro, ou “Bebê de proveta”, é realizado um estímulo ovariano com medicações injetáveis para que seja estimulada a máxima produção de óvulos. Estes óvulos são coletados por via transvaginal e levados a laboratório. Após fertilizados com o sêmen do parceiro, os melhores embriões são selecionados e tranferidos para o útero da paciente.

3 - Quais as chances de obter gravidez por Fertilização Assistida?

As chances de gravidez aumentam com o avanço da tecnologia, meios de cultura e melhor avaliação dos embriões. Porém, não houve mudanças nos fatores que prejudicam a gravidez, como a idade da mãe, por exemplo. Objetivamente as chances de gravidez variam com a idade das pacientes e da qualidade dos embriões. Esta variação está entre 30% a 60%. Portanto a repetição da Fertilização In Vitro, quando não se consegue gestação, é uma das orientações para conseguir bons resultados.

Na Fertilização In Vitro, a mulher toma medicamentos para produzir vários óvulos. Quando estes estiverem maduros, são retirados por via vaginal e encaminhados ao laboratório. O sêmen do esposo é colhido, e no laboratório se juntam os óvulos e espermatozoides do casal. Em torno do 3º ao 5º dia de vida o embrião é transferido para o útero materno. Tudo isto é ambulatorial (sem cirurgia).

4 - Qual a probabilidade da paciente sofrer um aborto?

Como é um procedimento artificial as chances de aborto ocorrem com probabilidades discretamente maiores do que na gestação natural.

5 - Qual a duração do tratamento?

Do início do tratamento até a coleta dos óvulos, temos em geral 14 dias. Após a fertilização com o sêmen e a transferência do embrião, de 3 a 5 dias após, espera-se cerca de 14 dias para o resultado do teste de gravidez. Ou seja, do início do tratamento até o fim teremos cerca de 30 dias.

6 - A chance de ocorrer malformações congênitas aumenta com a Fertilização Assistida?

Ao selecionar espermatozoides, óvulos e o próprio embrião que é transferido para o útero, além da natureza que dá a palavra final se aceita aquele embrião ou não, deveriam haver menos problemas genéticos. Mas não é o que ocorre. As alterações genéticas tendem a mesma probabilidade de uma gestação natural.

7 - Qual a chance de ocorrer gestação múltipla?

A Lei brasileira (2013) nos permite transferir até 04 (quatro) embriões para o útero de mulheres acima dos 40 anos, 03 (três) para mulheres entre 35-40 anos, e, até 02 (dois) embriões para mulheres abaixo de 35 anos. A tentativa é sempre que a paciente engravide de um único bebê. As vezes podem ocorrer gêmeos ou trigêmeos, com ligação ao número de embriões transferidos. Atualmente a grande maioria das clínicas estuda o “melhor” embrião tentando transferir somente 01 (um) ou 02 (dois) embriões para o útero.

8 – Quais são os riscos para a mulher em Reprodução Assistida?

O grande risco para a mulher é a decepção por não conseguir sua gestação na primeira tentativa. Existem fatores que dificilmente o médico consegue medir, mas pode haver: a chamada Síndrome do Hiperestímulo Ovariano, onde um número alto de óvulos é produzido, podendo causar dores abdominais, derramar líquido no abdômen, pulmões e até internação. Raramente, pode ocorrer do embrião se depositar  na trompa, que é a chamada gravidez ectópica.

9 - Os medicamentos utilizados para o tratamento apresentam algum efeito colateral?

Na grande maioria das vezes não. Eventualmente um pouco de dor mamária e sensação de peso no baixo ventre. O efeito das medicações é fugaz e tende a desaparecer rapidamente. Para isso é feito controle por ultrassom e dosagem hormonais, para que não ocorram efeitos colaterais mais graves.

10 - Após o procedimento, em quanto tempo a paciente fica sabendo se está grávida?

Após a transferência embrionária, nossa clínica dosa o Beta HCG no sangue em 15 (quinze) dias.

11 - Para realização dos procedimentos de Reprodução Assistida é necessário internação hospitalar?

Não, atualmente com o ultrassom vaginal, a Fertilização In Vitro se tornou ambulatorial, faz-se uma leve sedação na retirada dos óvulos e a mulher volta para casa, no mesmo dia, andando. Na transferência dos embriões, é como se ela estivesse fazendo um preventivo de câncer (papanicolau), ou seja, sem dor ou anestesia.

12 – Quando procurar um especialista?

Em geral, o diagnóstico de infertilidade pode ser realizado após 12 meses de tentativas. Se a mulher tem mais de 35 anos, o prazo para a realização do diagnóstico cai para seis meses de tentativas. Portanto, casais tentando engravidar a mais de um ano ou casais acima dos 35 anos com mais de 6 meses de tentativa, devem procurar um especialista na área de Reprodução Humana.

13 – Quais as principais causas de infertilidade?

Causas Masculinas

a) Varicocele: que são veias nos testículos que aumentam a temperatura local afetando os espermatozóides.

b) Infecção viral como caxumba.

c) Testículos ectópicos, que não desceram para a bolsa escrotal.

d) Vasectomia.

e) Histórico de trauma/choque local.

Causas Femininas

a) Falta de ovulação por ovários policísticos, por exemplo.

b) Endometriose Pélvica

c) Fator tubário: trompa com infecções pós apendicite aguda, gonorréia ou Clamydia.

d) Pólipos e Miomas uterinos.

e) Laqueadura Tubária

Estes são os fatores mais comuns. Existem outros que cabe aos especialistas em Reprodução Humana diagnosticar.

14 – O que é endometriose?

Endométrio é o tecido que recobre a parte interna do útero, e que recebe e vai nutrir o embrião na gestação inicial. Ele é composto de glândulas e vasos sanguíneos. Se a paciente não engravidar, ele descama na forma que toda mulher conhece, ou seja, a menstruação. Se este endométrio, por diversas causas, se aloja nos ovários, trompas ou alça intestinais, ele sangra dentro do abdômen durante as menstruações causando dor pélvica e aderências, podendo ter como consequência a infertilidade.

15 – Durante quanto tempo um embrião pode ficar armazenado?

Teoricamente os embriões podem permanecer em congelamento em nitrogênio líquido por longos anos. Até pouco tempo, os resultados de congelamento de óvulos era péssimo. Agora temos uma técnica chamada Vitrificação que tem dado ótima sobrevida aos óvulos e embriões. Mas por se tratar de técnica nova não conseguimos ainda afirmar quanto tempo os óvulos ou embriões sobrevivem. Já existem gravidezes relatadas com congelamento de embriões por mais de 10 anos.

16 – Qualquer mulher pode submeter-se ao procedimento de Reprodução Assistida?

Tendo boas condições de saúde, todas as mulheres podem ser submetidas às técnicas de Reprodução Assistida até os 50 anos. Quanto mais nova, melhores os resultados. Após os 40 anos de idade as taxas de gravidez caem bastante, sendo uma discussão o recebimento de óvulos de mulheres mais jovens para obterem sua gravidez.