Hoje, o método mais utilizado para tratamento nos casos de Infertilidade Masculina é a técnica da ICSI – Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides-, onde é necessário um único espermatozoide vivo para fertilizar cada óvulo.

As indicações para ICSI não são restritas às alterações quantitativas dos espermatozoides, mas incluem também baixa motilidade, morfologia e concentração. Altas taxas de fertilização e gravidez podem ser obtidas quando um espermatozoide móvel é injetado. Em casos onde eles estão imóveis para a microinjeção, é importante selecionar os vivos.

Qualquer forma de infertilidade associada com obstrução de ductos excretores, a vasectomia por exemplo, pode ser tratada pela ICSI, com espermatozoides microcirurgicamente retirados do epidídimo ou dos testículos.

Devido as excelentes taxas de fertilização e bom desenvolvimento embrionário, a técnica de ICSI tem sido indicada em praticamente todos os casos de infertilidade, mesmo sem a presença do fator masculino de infertilidade.

A fertilização é considerada normal quando dois prónucleos forem visualizados, contendo nucléolos em seu interior. E depois, passam para fase de 2 células, 4 células, 8 células e no 3º dia podem ser transferidos ao útero.