Método conhecido como “bebê-proveta”, a FIV é uma técnica muito utilizada para o tratamento da infertilidade. Durante a realização da FIV, é preciso que o casal passe por algumas fases do tratamento.

A primeira fase, é a da estimulação ovariana (1) que ocorre com o objetivo de obter um maior número de óvulos para aumentar as chances de fertilização e gravidez. Estes óvulos serão retirados (2) por via vaginal guiados por ultrassom com a paciente sedada. Após esta fase, os óvulos são fertilizados com o espermatozoide (3) do parceiro ou doador.

Depois de formados, os embriões são colocados em uma estufa/ encubadora (4), cujas condições ambientais são similares às da tuba uterina, em geral por 72 horas (entre 48 e 120 horas), quando atingem cerca de oito ou mais células. Após esta fase, aqueles embriões que apresentarem melhor qualidade serão transferidos para o útero materno (5), já preparado para recebê-los.

Indicações da FIV:

– Obstrução tubárea
– Baixa contagem de espermatozóides
– Infertilidade não explicada
– Casais homoafetivos
– Endometriose

Índice de sucesso da FIV:

As chances de sucesso da Fertilização In Vitro variam de 35% a 50%, podendo chegar a 60% ou mais dependendo da idade da paciente e/ou qualidade embrionária.