Assim como a formação dos outros órgãos do corpo, o aparelho reprodutivo da mulher começa a se formar quando ela ainda é um feto, dentro do útero da mãe. Esses órgão incluem o útero e as trompas de falópio, que se desenvolvem a partir de dois dutos conhecidos como os ductos de Müller.

Durante o desenvolvimento normal dentro do útero, os ductos se desenvolvem, quando isso ocorre, um único útero com uma cavidade aberta e duas trompas de falópio são formados. Porém em alguns casos, o útero e as trompas podem não se formar como deveriam, essa má formação é chamada de Anomalias ou Defeitos de Müller. Em mulheres que possuem essa anomalia pode se tornar difícil ou impossível engravidar.

 

Quais são os tipos de anomalias de Müller?

Os tipos mais comuns de anomalias de Müller são:
• Agenesia Mülleriana: que é uma incapacidade de formar o útero e as trompas de Falópio;
• Distúrbios da fusão: que ocorrem quando os ductos de Müller não conseguem se unir corretamente.

Muitas vezes, mulheres com anomalias de Müller podem desenvolver problemas renais, principalmente porque os rins se desenvolvem junto ao sistema de Müller.

 

Como ocorre a Agenesia de Müller?

Agenesia de Müller (chamada de Síndrome Mayer-Rokitansky-KusterHauser [MRKH]) acontece quando o útero, o colo do útero (entrada do útero), e a parte superior da vagina não se desenvolvem corretamente, em vez disso, há uma pequena abertura vaginal. As mulheres com ovários normais com MRKH terá o desenvolvimento normal dos seios, clitóris, parte da vulva e vulva (genitália externa).

Muitas vezes mulheres só tomam conhecimento que possuem essa síndrome quando já estão mais velhas. Os principais sintomas são a ausência de ciclos mentruais e / ou dor ao ter relação sexual. Uma mulher com MRKH pode fazer uma cirurgia para ampliar a vagina, além disso, uma vez que uma mulher com MRKH tem ovários que produzem óvulos, ela pode ter filhos, mas precisará utilizar a fertilização in vitro (FIV) e um útero de substituição.

 

Quais são os tipos de Distúrbios da Fusão?

• Duplicação completa do útero: Nesta situação, a mulher tem dois úteros, colos e vaginas.
• Útero bicorno: Onde o útero é dividido em duas partes internamente. Isto pode causar menstruações dolorosas caso o sangue não consiga fluir através dele, mas esse problema pode ser corrigido com cirurgia.
• Útero septado: Nesta situação, existe uma faixa de tecido fibroso que atravessa o útero. Um médico pode remover a faixa fibrosa através de um procedimento minimamente invasivo, conhecido como histeroscopia.
• Útero arqueado: O que significa que existe um “dente” na parte superior do útero. Esta situação não provoca quaisquer problemas com a gravidez.

 

Como distúrbios de fusão müllerianas podem afetar a capacidade de engravidar?

As mulheres que possuem esses distúrbios de fusão, normalmente possuem ovários que funcionam normalmente, com isso ocorre o desenvolvimento dos seios, da vulva, pelos pubianos e ocorre a ovulação normalmente, podendo engravidar. Além disso, elas podem não apresentar desconfortos físicos ou dificuldades envolvidas em relações sexuais devido às suas anormalidades internas.

No entanto, as mulheres com distúrbios de fusão são mais propensas a ter abortos espontâneos e partos prematuros. As dificuldades com a gravidez dependem do tipo de transtorno de fusão. As maneiras de diagnosticar um transtorno mulleriano é através de ultrassonografia, ressonância magnética ou um procedimento cirúrgico.