Há opções para preservar a fertilidade em mulheres que foram diagnosticadas com câncer?

Sim! A nova tecnologia permite que o seu médico remova e congele seus óvulos, (embriões), ou tecido ovariano antes de tratar seu câncer. Dessa forma, você pode ser capaz de ter filhos após o tratamento. Este processo é chamado de criopreservação ou congelamento de óvulos. O tipo de câncer que foi diagnosticado é o que determina quais são suas opções.

Os cânceres mais comuns em meninas e mulheres jovens são Hodgkin ou linfoma não-Hodgkin, leucemia, câncer da tireoide, câncer de mama, melanoma, ou cânceres ginecológicos (colo do útero, útero, ovário). A maioria destes cancros podem ser tratados com quimioterapia, radiação, ou uma combinação de ambos. Diversos fatores determinam se você é infértil após o tratamento e incluem a sua idade, a dose e o local da radiação, e que tipo de drogas da quimioterapia que lhe foi receitado. A quimioterapia é eficaz no tratamento de muitos cancros, mas pode causar infertilidade por prejudicar ou diminuir o número de óvulos.

 

Embrião criopreservação

Embrião criopreservação é a forma mais comum de preservar a sua capacidade de engravidar no futuro. Você deverá passar por um procedimento chamado de fertilização in vitro (FIV). Na FIV, você será receitada com hormônios para estimular os ovários a produzir uma série de óvulos. Uma vez que eles são desenvolvidos, serão removidos por sucção suave. Os embriões são criados em laboratório com a união do esperma e o óvulo e após isso os óvulos ou/e os embriões fertilizados serão congelados.

Você pode até mesmo optar por realizar testes genéticos nos embriões antes de congelá-los (chamado PGD ou diagnóstico genético pré-implantação). DGP pode ser utilizado para testar um distúrbio genético específico (por exemplo, para verificar se há gene BRCA em uma mulher com cancro da mama). Se você decidir que quer ter filhos após o tratamento completo do câncer um ou dois embriões podem ser colocados em seu útero (útero), com ou sem a ajuda de medicamentos.

Infelizmente, nem todo mundo pode passar por este procedimento. Você terá que tomar medicamentos que fazem você produzir mais óvulos do que o habitual e no total, o processo pode ter 2 a 3 semanas para completar e se você precisar de quimioterapia ou radioterapia para o câncer, você pode não ser capaz de esperar tanto tempo. Os medicamentos que fazem seu corpo produzir mais óvulos também pode tornar seu corpo a produzir mais hormônios, como o estrogênio e esse hormônio em grande quantidade pode fazer alguns tipos de câncer piorarem.

Embrião criopreservação oferece hoje a melhor chance de gravidez. As chances de um embrião sobrevivente depois do processo congelamento e descongelamento implantado em seu útero são mais elevadas do que as chances de criação de uma gravidez de embriões a partir de óvulos ou tecido ovariano congelados. Se você decidir usar a criopreservação de embriões, você precisará ter espermas de um homem para fertilizar seu ovúlo antes de ser congelado. Se você não tem um parceiro, os doadores de espermatozoides podem ser usados. Se nenhuma destas fontes de espermas é possível ou disponível para você, o congelamento de somente os óvulos é uma boa opção.

 

Óvulos (oócito) criopreservação

As mulheres podem escolher esta opção sobre criopreservação de embriões, se elas não possuem parceiro atual ou por motivos pessoais. O procedimentos para óvulos de congelação melhoraram muito nos últimos 10 anos, tornando esta uma boa opção para muitas mulheres. Apesar do sucesso do congelamento de óvulos, as taxas de gravidez são ainda mais elevadas por embrião congelado do que por óvulo congelado. Isto é porque no momento em que os embriões são congelados eles já foram fertilizados e cultivados durante vários dias, demonstrando o seu potencial reprodutivo.

Este processo envolve ainda a fertilização in vitro e geralmente requer de 2 a 3 semanas. Você tomará medicamentos que irão ajudá-la na produção de óvulos, no entanto, após eles serem removidos de seu corpo, eles são congelados imediatamente. Ao contrário de criopreservação de embriões, os óvulos não serão fertilizados antes de serem congelados. Após o seu tratamento contra o câncer, os que sobrevivem ao processo de congelamento e descongelamento serão então fertilizados em laboratório com o seu parceiro ou doador de esperma. Os embriões que se desenvolvem serão colocados em seu útero.

Não está claro se mais maduros (desenvolvidos) forem os óvulos congelados melhor a sua capacidade de sobrevivência do que os menos desenvolvidos (imaturos). Além disso, a sucção suave de óvulos imaturos sem uso de medicamentos de estimulação já foram realizadas, e alguns casos de gravidez foram relatados porem esse procedimento ainda é considerado experimental.

 

Criopreservação de tecido ovariano

Os médicos têm feito experiências com um procedimento para congelar o tecido que contém óvulos que descansam a partir de ovários de uma mulher. Neste procedimento, os médicos cortam o tecido a partir de um dos seus ovários em fatias finas. Estas fatias são então congeladas.

Após o seu tratamento contra o câncer, os médicos podem colocar uma fatia de tecido ovariano descongelado de volta em seu corpo. Você pode precisar de tratamento com hormônios de fertilidade para este tecido produzir um óvulo. Existem algumas desvantagens para este procedimento. Você terá que fazer cirurgia várias vezes. Também é perigoso se você tem câncer de ovário. Se o tecido tem câncer e é colocado de volta em seu corpo, o câncer pode se espalhar. É importante para você saber que a criopreservação de tecido ovariano ainda é um procedimento experimental. Nem sempre tem sido bem sucedida em todos os centros de fertilidade, a taxa de sucesso é ainda muito baixa.