Para uma mulher engravidar, o espermatozoide do homem deve viajar a partir da vagina, passando através do colo uterino, indo para o útero, em direção a uma das trompas de falópio. Se os espermatozoides chegarem nas trompas logo após a ovulação, eles se encontram na trompa, mais comumente, no lado que a ovulação ocorreu, e, em seguida, pode ocorrer a fecundação.

O colo do útero naturalmente limita o número de espermatozoides que entram no útero, só alguns realmente conseguem fazer o seu caminho para as trompas de falópio. A Inseminação Intrauterina (IIU) é um procedimento que ultrapassa o colo do útero e introduz os espermatozoides no útero de uma mulher na época da ovulação. Colocar eles diretamente no útero faz com que a viagem para as trompas de falópio seja muito mais curta. Desta forma, há uma melhor chance de que mais espermatozoides façam o seu caminho mais perto do óvulo. Este procedimento é realizado para melhorar a possibilidade de uma mulher engravidar.

 

Quando a IIU é útil?

Há muitas razões por quais os casais têm dificuldade de ter um bebê. IIU pode ser útil para algumas delas.

Infertilidade feminina: As mulheres que não liberam um óvulo regularmente (ovulação) podem tomar medicamentos para ajudá-las a ovular regularmente. Estas mulheres podem precisar da IIU para uma inseminação artificial realizada no período da ovulação. Além disso, a IIU é útil quando o colo do útero da mulher tem cicatrizes que impedem a entrada do esperma no útero. Isso pode ser visto em mulheres que realizaram alguma cirurgia em seu colo (criocauterização, conização, curetagem…).

As mulheres com dificuldade para engravidar que tomam medicamentos (via oral ou por injeções) estimulam os ovários a produzir vários óvulos ao mesmo tempo. Essas mulheres parecem ter uma melhor chance de engravidar se elas realizarem a IIU em conjunto.

A infertilidade masculina: A IIU é mais utilizada quando o parceiro masculino tem uma baixa contagem de espermatozoide, ou se o movimento do espermatozoide (motilidade) é menor do que ideal. Mas também, a IIU é útil para casais que são inférteis porque o homem tem problemas no desenvolvimento de uma ereção ou se ele não é capaz de ejacular. Por exemplo, ejaculação retrógrada é quando os espermatozoides são libertados para trás, dentro da bexiga, e não através do pênis, no momento do orgasmo masculino. Um certo número de condições médicas podem causar a ejaculação retrógrada. O esperma ejaculado na bexiga pode ser coletado a partir da urina e usado para a IIU. Além disso, a IIU pode ajudar caso o homem tenha uma abertura uretral anormal.

Preservação da fertilidade: Homens podem coletar e congelar (criopreservação) seu esperma para uso futuro antes de realizar uma vasectomia, a cirurgia testicular, ou radioterapia/quimioterapia para o câncer. O esperma coletado pode ser utilizado mais tarde para realizar a IIU.
Reprodução de terceiros: A IIU é realizada quando casais utilizam o espermatozóide de um homem que não é o parceiro da mulher para ter um bebê. Isso é chamado de inseminação artificial heteróloga (IAH). A IAH é comumente realizada quando a qualidade do espermatozoide do parceiro é severamente danificada, onde seu esperma não deve ser utilizado para a concepção e a fertilização in vitro não é uma opção. A IAH também pode ser usada se o homem possui alguma doença genética que ele não quer passar para seus filhos. As mulheres solteiras ou casais de lésbicas que querem ter um bebê podem também considerar IAH.

 

Como os espermatozoides são coletados?

O esperma necessário para a IIU pode ser coletado de várias maneiras. Mais comumente, o homem se masturba em um recipiente de vidro ou plástico que é fornecido por um laboratório especializado. O esperma também pode ser recolhido durante o sexo utilizando um preservativo especial que o médico fornece. Se um homem tem ejaculação retrógrada, o esperma pode ser recuperado em laboratório, a partir da urina coletada.

Homens que possuem problemas com ereção ou ejaculação apesar de usar medicamentos, bem como os homens com alguma lesão da medula espinhal, podem ser capazes de produzir uma amostra de esperma com a ajuda de procedimentos, tais como a estimulação vibratória ou eletro ejaculação. O eletro ejaculador faz uso da estimulação elétrica, a fim de produzir uma amostra de esperma. Para os homens com uma lesão completa na medula espinhal, a eletro ejaculação é comumente realizada no laboratório, enquanto pacientes com lesão medular incompleta podem precisar que o processo de eletro ejaculação seja realizado sob anestesia na sala de operações.

 

Como a IIU é realizada?

Uma vez recolhida a amostra de sêmen, ela é “lavada” em laboratório, para concentrar os espermatozóides e remover o fluido seminal (fluido seminal pode causar graves cólicas na mulher). Esse processo pode levar até duas horas para ser concluído.

A IIU é realizada perto da hora que a mulher está ovulando. O procedimento de IIU é relativamente simples e leva apenas alguns minutos. A mulher se deita em uma mesa de exame, o médico introduz um espéculo na vagina para visualizar o colo do útero. Um catéter (tubo estreito) é inserido através do colo do útero e a amostra lavada é injetada lentamente. Normalmente, este procedimento é bastante indolor, mas algumas mulheres apresentam cólicas leves.

 

Funciona?

O sucesso da IIU depende da causa da infertilidade do casal. Ela funciona melhor para homens quando a maioria de seus espermatozoides não se movem e para as mulheres cujo colo impede o esperma de entrar em seu útero. Ela não funciona bem para homens que produzem menos espermatozoides. Também pode não ajudar mulheres que possuem alguma doença grave na trompa de Falópio, endometriose moderada ou grave, ou infecções pélvicas. Existem outros tratamentos de fertilidade que são melhores para esses pacientes.

Em geral, são realizadas inseminações mensais com esperma fresco ou congelado, as taxas de sucesso podem ser elevadas: 20% por ciclo, mas isso depende dos medicamentos para fertilidade que são utilizados, a idade da mulher, qual o diagnóstico de infertilidade, bem como outros dados que possam ter impacto o sucesso do ciclo.

 

Existem riscos?

Se uma mulher está tomando medicamentos para fertilidade ao realizar uma IIU, sua chance de ficar grávida de gêmeos, trigêmeos ou mais é maior do que se ela não estivesse tomando esses medicamentos. A chance de defeitos de nascimento em todas as crianças é de 2% a 4%.

Converse com seu médico para saber se a Inseminação Intrauterina é adequada para você.