O que é infertilidade?

A infertilidade é a incapacidade de engravidar após 12 meses de relações sexuais desprotegidas. Ou seja, um casal que não consegue engravidar após um ano de tentativa.

 

É uma disfunção comum?

Infertilidade afeta em torno de 10% -15% dos casais. Isso a torna um dos problemas mais comuns para as pessoas entre as idades de 20 a 45. Além disso, quanto mais tempo uma mulher tentar engravidar sem conceber, menor são suas chances de engravidar sem tratamento médico. A maioria (85%) dos casais com fertilidade normal consegue a gravidez nesse período de um ano, se um casal não engravida no primeiro ano, suas chances ficam menor a cada mês.

 

O que pode causar infertilidade?

Idade: A idade de uma mulher pode ter um grande efeito sobre a sua capacidade de engravidar, especialmente quando ela está entre os 30 e 40 anos. Para uma mulher na faixa etária de 20 á 30 anos, as chances de engravidar a cada mês é 25% – 30%. Mas no momento em que uma mulher ultrapassa os 40 anos, as chances são de 10% ou até menos.

Problemas de ovulação: Se uma mulher não ovula (libera um óvulo) uma vez por mês, ela pode não conseguir engravidar. Problemas como a síndrome dos ovários policísticos (SOP), doenças relacionadas a tireóide, e outros distúrbios hormonais podem afetar a ovulação e levar à infertilidade. Mulheres que não têm períodos menstruais regulares muitas vezes são as que não ovulam. As mulheres que estão acima do peso ou abaixo do peso são mais propensas a ter problemas com a ovulação do que mulheres de peso normal. Essas mulheres devem procurar um médico especialista em fertilidade o quanto antes ao pensarem em engravidar.

Trompas de falópio ou bloqueadas: Trompas de falópio são as tubas ligados ao útero, onde o esperma e o óvulo normalmente se encontram. Tubas bloqueadas ou danificadas podem causar a infertilidade ou gravidez ectópica (gravidez fora do útero). As chances de ter tubas bloqueadas são mais elevadas em mulheres que têm ou tiveram endometriose, cirurgias na pelve, ou infecções sexualmente transmissíveis (como a gonorreia ou clamídia).

Fator Masculino: Um terço de todos os casos de infertilidade é devido a um problema masculino. Em outro terço dos casos, a infertilidade é devido a uma combinação de problemas masculinos e femininos. No parceiro do sexo masculino, a infertilidade pode ser causada por não conseguir ejacular o espermatozóide. A qualidade do esperma também é importante e é medida pela quantidade, o movimento, e a forma do esperma. Às vezes outras doenças podem afetar a capacidade de um homem produzir quantidades normais de espermatozóides com qualidade normal. Homens com diabetes, por exemplo, pode ter dificuldade para ejacular. Homens com fibrose cística pode ter um bloqueio que impede o esperma de ser ejaculado. Homens com sobrepeso, aqueles que fumam, ou homens que usam drogas recreativas tais como maconha são mais propensos a ter problemas com a fertilidade.

 

O que posso fazer sobre a minha infertilidade?

O mais importante é visitar um especialista em fertilidade. Ele poderá ajudar o casal e explicar os motivos de não conseguirem conceber.

Em alguns (10% ou mais) dos casos, porém, pode não haver uma razão óbvia por que um casal não consiga engravidar. Isto é conhecido como infertilidade inexplicada. Tratamentos de fertilidade muitas vezes podem ajudar esses casais com infertilidade inexplicada ou sem causa aparente.

 

Quando devo consultar um especialista?

Geralmente, um casal deve procurar um médico, caso já estejam tentando em torno de 12 meses e não consigam engravidar.

Se uma mulher possui 35 anos ou mais, ela deve consultar um especialista em fertilidade depois de 6 meses de tentativas. Agora, se uma mulher tem menos de 35 anos, mas tem um histórico familiar de menopausa precoce, outros problemas de saúde que possam causar menopausa precoce, ou passou por tratamentos de câncer, ela deve considerar procurar um aconselhamento de fertilidade mais cedo. Um casal pode também procurar uma consulta de fertilidade mais cedo se houver um risco para a infertilidade, tais como ciclos menstruais irregulares ou risco potencial de danos à trompa de Falópio, e, para os homens que têm problemas de saúde prévios que podem aumentar as chances de infertilidade, tais como problemas de infância com os testículos ou o tratamento de câncer