A gravidez ectópica é uma gravidez que ocorre fora do útero. Em uma gravidez normal, o óvulo se encontra com o esperma e é fecundado na trompa de Falópio e o embrião (óvulo fecundado), se desloca através da trompa para o útero. Uma vez lá, ocorre a fixação do embrião e seu crescimento gerando assim um bebê.

Mas existem alguns casos onde ocorre a implantação do embrião, e seu crescimento ocorre em algum lugar fora do útero, a isso damos o nome de Gravidez Ectópica. Uma gravidez ectópica não é saudável, pois conforme ocorre o crescimento do feto, ele pode colocar em risco a vida da mãe. A prevenção e tratamento de uma gravidez ectópica precoce são de extrema importância.

O local mais comum onde ocorre a gravidez ectópica é na trompa de Falópio. Outros locais possíveis para ocorrer esse tipo de gravidez, porém mais raros são: ovário, colo do útero, ou em outro lugar no abdômen. São casos mais raros, porém deve-se tomar muito cuidado, pois caso descubra uma gravidez ectópica e ela não for tratada adequadamente a mãe pode correr risco de vida.

 

O que provoca uma gravidez ectópica?

A gravidez ectópica não tem fatores de risco óbvios para desenvolvê-la. No entanto, uma mulher pode ser mais propensa a ter uma gravidez ectópica se ela:

  • Realizou uma cirurgia na pélvis ou no abdômen (barriga);
  • Teve uma infecção sexualmente transmissível;
  • Tem endometriose;
  • Se é fumante;
  • Realizou um tratamento de fertilidade no passado;
  • Já passou por uma gravidez ectópica anterior;
  • Engravidou mesmo utilizando um dispositivo intra-uterino (DIU).

 

Como os médicos podem diagnosticar gravidez ectópica?

Uma combinação de exames de sangue e ultrassonografia podem ajudar o médico a diagnosticar uma gravidez ectópica. Ao ficar grávida a mulher libera em seu sangue um hormônio chamado de HCG, através de um exame de sangue chamado beta-HCG, pode-se medir o nível desse hormônio que normalmente é medido mais de uma vez, para avaliar se o nível no sangue está subindo normalmente.

Além disso, realiza-se a Ultrassonografia Trasnvaginal para mostrar se o bebê está dentro ou fora do útero. Caso esteja grávida e tenha todos os indícios para ter uma gravides ectópica, é necessária a avaliação de um médico assim que descoberta a gravidez.

 

Como os médicos tratam gravidez ectópica?

Uma gravidez ectópica pode ser tratada em 4 maneiras, dependendo dos sintomas e qual estágio da gestação.

Metotrexato

O metotrexato é um medicamento que interrompe a gravidez ectópica de continuar a desenvolver-se. Esse medicamento é administrado por um profissional e injetado na paciente. Após a aplicação deve-se evitar o álcool, ácido fólico, e medicamentos como o ibuprofeno para garantir que o medicamento funcione corretamente. Os efeitos secundários podem incluir náuseas, vómitos, diarreia, dor abdominal, e feridas na boca.

Caso ocorra uma dor abdominal intensa ou desmaio após o tratamento, deve-se chamar imediatamente o seu médico para reavaliação. O médico irá repetir os níveis de hCG várias vezes para se certificar de que a gravidez ectópica está respondendo ao tratamento. Considera-se o fim do tratamento quando o nível de hCG cai para zero. Quase 90% das gestações ectópicas podem ser tratados com sucesso com o metotrexato, se detectada precocemente.

Laparoscopia

A laparoscopia é a cirurgia mais comum para a gravidez ectópica, é chamada de cirurgia minimamente invasiva, pois o médico faz incisões muito pequenas em seu abdômen inferior. Um pequeno telescópio ligado a uma câmera é colocado em uma incisão assim o médico pode observar todo o interior do abdômen e encontrar a gravidez ectópica. Em alguns casos a trompa de falópio pode estar danificada, com isso pode ocorrer a remoção da mesma.

A laparotomia

Em alguns casos, uma gravidez ectópica pode provocar uma grande hemorragia interna ou há muito tecido cicatricial remover a gravidez ectópica por laparoscopia. Nestes casos, uma incisão abdominal maior chamada de uma laparotomia é realizada para remover a gravidez ectópica.

A observação cuidadosa

Em alguns casos, uma gravidez ectópica muito cedo pode desaparecer sem tratamento, muitas vezes antes que ele seja diagnosticada e confirmada. Caso você esteja no grupo de risco consulte seu médico assim que você começar a pensar em engravidar.

 

Será que vou ter complicações?

Mesmo com o tratamento e observação apropriada, uma gravidez ectópica pode causar hemorragia interna com risco de vida. Você deve ir ao seu médico ou hospital caso possua algum sinal ou sintoma que pode ser uma gravidez ectópica, pois ela pode se agravar ocorrendo a ruptura da trompa de falópio, sendo necessária uma cirurgia de emergência.

 

Será que vou ser capaz de engravidar novamente após uma gravidez ectópica?

Mulheres com histórico de uma gravidez ectópica sempre devem procurar um médico quando estiverem pensando em engravidar. Em alguns casos é necessária a procura de médicos especializados em fertilização, pois devido a problemas nas trompas de Falópio ou a cicatrização na pelve devido a primeira gravidez a fertilidade pode estar prejudicada.

Caso consiga engravidar após uma gravidez ectópica, há, pelo menos, 10% de chance de ter outra gravidez ectópica. Se a trompa de Falópio não foi removida, ela geralmente permanece aberta após o tratamento e há 60% de chance de ter uma nova gravidez.

A avaliação precoce de sua gestação por seu médico é importante, principalmente em casos onde ocorram dificuldades para engravidar após ter uma gravidez ectópica, lembre-se que existem testes e tratamento de fertilidade que podem melhorar suas chances.